Tenho um gato sénior. E agora?

15 Fevereiro 2017

Os gatos são mestres a esconderem as suas fragilidades. É fundamental que os donos estejam atentos aos sinais de envelhecimento (como passar mais tempo deitado, não brincar ou interagir,...). As alterações comportamentais devem ser vigiadas e deve ser proporcionado um maior conforto. Deixamos-lhe algumas dicas.

  1. Facilitar o acesso aos recursos básicos: comedouro, bebedouro, caixa de areia, gateira, etc.
  2. Incentive o exercício físico adequado ao estado de saúde do seu gato geriátrico: brinque com o gato regularmente, por curtos períodos e de forma controlada.
  3. Aumente o número de recursos: a desorientação espacial acontece nos animais com demência e pode ser um problema em relação à manutenção de hábitos básicos de higiene e alimentação. Se se disponibilizarem mais recursos, para que o gato que os encontre com maior facilidade, mesmo que desorientado, podem ser evitados alguns dissabores.
  4. Verifique a saúde oral: muitos gatos idosos têm alterações dentárias, que podem causar dor ou desconforto enquanto se alimentam ou executam o “grooming” natural.
  5. Disponibilize superfícies antiderrapantes: evitará acidentes relacionados com a eliminação e ajudará o animal a manter-se mais ativo.
  6. Favoreça o contacto físico com o gato: estes momentos de interação servem de estimulação cognitiva, assim como promovem o bem-estar e estreitam laços afetivos entre ambos.
  7. Escove-o regularmente: os gatos idosos, por dor, demência ou doença oral, descuidam o cuidado meticuloso que habitualmente têm com o pêlo.
  8. Verifique regularmente o estado de crescimento das unhas: quando ficam mais velhos, os gatos descuram, muitas vezes, um cuidado que para si era indispensável.
  9. Proporcione odores diferentes em ambientes diferentes: como os gatos vivem no mundo dos odores e este é, normalmente, o último dos sentidos a ser perdido, pode sinalizar os vários locais, importantes para o dia-a-dia do gato, com odores diferentes e agradáveis.
  10. Estimulação cognitiva: um cérebro exercitado mantêm-se funcional durante mais tempo.
  11. Consulte o veterinário: leve o seu gato sénior ao veterinário assistente, para que este avalie o seu estado de saúde.

 

 

Fonte: http://visao.sapo.pt/opiniao/bolsa-de-especialistas/2017-02-07-Dicas-para-quando-o-seu-gato-comeca-a-ficar-velhote, 15 de fevereiro de 2017