Coronavírus e animais de estimação: O que sabemos?

7 Maio 2020

O meu animal de estimação pode apanhar coronavírus? Esta é uma questão que atualmente se impõe na casa dos portugueses. Tentaremos responder com algum rigor às dúvidas mais colocadas relativamente a esta temática.

O COVID-19 representa uma preocupação mundial com a saúde pública, sendo que vários países já avançaram com diversas medidas para combater o perigoso vírus que assolou o mundo.

Os animais de estimação podem apanhar coronavírus?

Ainda não existe qualquer confirmação de que os animais de estimação, nomeadamente os cães e os gatos, podem ser infetados com o novo coronavírus. Não há também quaisquer evidências de que possam ser uma fonte de transmissão para outros animais e humanos.

De qualquer forma, esta informação será atualizada por parte da WSAVA – Associação Mundial de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais.

 

Posso estar com o meu animal caso esteja infetado com coronavírus?

Deve restringir o contacto com animais de estimação caso esteja infetado com coronavírus, tal como deve fazer com outras pessoas. Não é recomendável estar com animais até que mais informações sejam divulgadas sobre o vírus.

O ideal nestes casos será pedir a um familiar que fique com o animal de estimação. No entanto, caso esta solução não seja possível, lave sempre as mãos antes de interagir com o animal e use uma máscara facial. Evite acariciar, agarrar e preparar as refeições do animal sem antes lavar as mãos.

 

Como devo proceder se o meu animal apresentar sintomas de doença?

Caso o seu animal de estimação tenha contactado com uma pessoa infetada com coronavírus e desenvolva uma doença sem causa aparente, aconselhamos entrar em contacto com um profissional de saúde ou com o seu veterinário.

Poderá ser necessário levar o animal para uma clínica veterinária, mas avise os responsáveis que o mesmo esteve em contacto com uma pessoa com COVID-19. Nesse caso, a clínica deverá preparar uma área de isolamento.

Leve o animal ao veterinário caso esse caminho lhe tenha sido indicado por um profissional de saúde pública. Avise sempre antecipadamente o centro veterinário.

É aconselhável que os cuidadores de animais de estimação em áreas onde já existem casos diagnosticados tenham sempre o máximo cuidado ao interagir com os seus animais. Revela-se fundamental lavar as mãos sempre que possível e seguir as instruções que a Direção-Geral da Saúde tem emitido.

 

Esta situação está a evoluir de forma rápida, pelo que é necessário manter-se informado e atualizado em relação às alterações que possam ser anunciadas.

A Ornimundo conta com três centros veterinários na zona Norte disponíveis para o auxiliar caso se verifique alguma irregularidade derivada do COVID-19.

 

Fonte: WSAVA – Associação Mundial de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais