A Leishmaniose canina

2 Maio 2022

O que é a leishmaniose? É uma patologia causada pelo parasita Leishmania Infantum. A transmissão ocorre através da picada do mosquito phlebotomus infestado com este parasita.

Estes mosquitos estão ativos desde que o tempo aquece, normalmente a partir de abril e até setembro e vivem, sobretudo, em refúgios de animais, habitações, caixotes de lixo, matas e zonas com águas estagnadas. Nos anos mais quentes, o seu período de atividade pode ir de março a novembro.

Durante este período pode ocorrer a transmissão da doença, nunca diretamente de cão para cão (exceto no caso da transmissão mãe/filho), mas sempre através do vetor, que é o próprio inseto.

Ou seja, este tem que picar, para se alimentar de sangue, num cão doente, para transmitir o parasita a um cão saudável, quando o picar para se alimentar novamente. Está ativo desde o entardecer até ao amanhecer, sobretudo em noites amenas, pouco ventosas.

Aqui ficam algumas dicas que podem ajudar à prevenção e a evitar que o seu amigo de quatro patas contraia uma doença perigosa e por vezes mortal.

 

Que sistomas da leishmaniose pode avaliar no seu cão?

O período de incubação poderá variar entre 1 a 2 meses. Os sinais clínicos mais frequentes que deverá ter em atenção são:

  • Perda de peso;
  • Aumento dos gânglios linfáticos;
  • Crescimento exagerado das unhas;
  • Perda de pêlo;
  • Úlceras e descamação da pele;
  • Atrofia muscular;
  • Sangramento nasal;
  • Anemia;
  • Alterações nos rins, figado e articulações.

No entanto, a Leishmaniose apresenta diferentes sinais clínicos e diversos graus de gravidade de cão para cão, podendo estar associada a outras doenças concomitantes.

Dicas que podem ajudar à prevenção da Leishmaniose

  1. Utilização de redes mosquiteiros.
  2. Evitar que os cães pernoitem na rua.
  3. Evitar os passeios ao final do dia e durante noites amenas e pouco ventosas.
  4. Aplicar pipetas ou coleiras repelentes de insetos ou com inseticidas.
  5. Evitar passear em locais húmidos, matas e parques: mantenha o animal em movimento, brincando com ele se forma ativa, porque quanto mais se mexer, mais difícil será ser picado.
  6. Uso de inseticidas no ambiente.
  7. Medidas sanitárias básicas e simples.
  8. Exames regulares.
  9. Uma nutrição saudável e equilibrada.
  10. Vacinação: consiste numa primovacinaçao, a partir dos 6 meses de idade, com 3 doses vacinais administradas com 3 a 5 semanas de intervalo.

Mas se todas estas dicas falharem e o seu cão chegar a contrair Leishmaniose, nem tudo está perdido.

O tratamento recomendado pelo Médico Veterinário deve ser cumprimido com o máximo rigor. E é extremamente importante continuar a prevenir as picadas do inseto flebótomo utilizando inseticidas com efeito repelente sob a forma de coleiras, pulverização ou de spot-on.

Com acompanhamento veterinário, cuidados adequados e empenho tutorial responsável, pode disfrutar de uma vida longa e com qualidade, não diferente da de qualquer outro cão saudável.

 

Rita Rodrigues

Média Veterinária de Animais de Companhia