Raças de cão potencialmente perigosas e os cuidados a ter

19 Junho 2017

Quando referem "animais potencialmente perigosos", deve-se ter em atenção que são assim denominados devido à sua forte estrutura corporal e manibular, mais do que pelo seu comportamento.

O que relamente acontece é que estes cães vivem a sua vida inteira sem nenhuma ocorrência grave ou qualquer tipo de perigo.

As raças que se seguem encontram-se entre as mais meigas, leais e humildes perante a sociedade.

O que se pode concluir com tudo isto?

O ambiente em que o cão vive é muito importante. Quando os donos são cuidadosos, carinhosos e justos com o seu parceiro, dificilmente ele se transformará num animal perigoso e agressivo. Um instrutor informado e diligente poderá fazer toda a diferença!

Raças Potencialmente Perigosas

  • Cão de Fila Brasileiro
  • Dogue Argentino
  • Pit Bull Terrier
  • Rottweiler
  • Staffordshire Terrier Americano
  • Staffordshire Bull Terrier
  • Tosa Inu

                ou ainda animais cruzados com estas raças

 

Condições legais para ter um animal de raça potencialmente perigosa

O detentor destes cães tem de ser maior de 16 anos. É obrigatório possuir 1 licença especial, obtida anualmente, na junta de freguesia da área de residência. 

 

O canídeo tem de ter a:

  • vacina antirrábica válida;
  • estar identicado com microchip, colocado por um médico veterinário;
  • ter seguro de responsabilidade civil para o animal (capital mínimo de €50 000);
  • ter registo criminal do detentor (anual);
  • entregar termo de responsabilidade onde se declara conhecer a legislação, ter medidas de segurança no alojamento e historial de agressividade do animal;
  • esterilizar o animal, exceto se este estiver inscrito em Livro de Origens oficialmente reconhecido.

 

Condições de circulação

Estes cães têm de ser conduzidos por pessoa maior de 16 anos e o uso de açaimo é obrigatório.

É obrigatório circular na via pública com trela curta, até 1 metro, fixa à coleira ou peitoral.

O proprietário deve fazer-se acompanhar da licença de detenção, quando se desloca com o animal.

Os canídeos não podem circular sozinhos na via pública; caso circulem sozinhos, fora do controlo e guarda de um detentor, podem ser recolhidos ao canil municipal.

 

Condições de alojamento

É obrigatório adotar medidas de segurança reforçadas nos alojamentos, para evitar a fuga dos animais e a possibilidade de eles poderem colocar em risco a segurança de pessoas, outros animais ou bens, nomeadamente através de:

  • Vedações com pelo menos 2 m de altura;
  • Espaçamento máximo de 5 cm entre o gradeamento ou entre este e os portões ou muros.

 

É obrigatório ter no alojamento, num local visível, o aviso da presença do animal.

 

Centro Veterinário Ornimundo Norteshopping

Contacto: 932119508